Manifestações contra PEC 241 e sucateamento da educação pública

Hoje, 18 de outubro de 2016, haverá uma grande manifestação contra o PEC 241, a Reforma do Ensino Médio e a privatização da Educação em Goiás via Organizações Sociais (OS). A mobilização acontece a partir das 16 horas na Praça Universitária, Setor Leste Universitário. Contamos com a participação de todos.

Após a aprovação do projeto do Projeto de Emenda Constitucional (PEC) nº 241 na Câmara dos Deputados com ampla maioria, tornou-se claro que temos no horizonte um projeto de Brasil lamentavelmente elitista, que congela as despesas do Governo Federal pelos próximos 20 anos, englobando, a partir de 2018, as áreas da Saúde e da Educação. Dessa forma, o aumento dos gastos públicos fica limitado tão somente ao aumento da inflação. Na prática, é o fim dos investimentos públicos. Embora a premissa do governo seja legítima,  a necessidade de construir uma situação orçamentária sustentável, equilibrando arrecadação e gastos, a medida é hedionda. É como se uma pessoa, para reduzir as despesas domésticas, cortasse os remédios diários para a manutenção de sua saúde, assim como as mensalidades da sua faculdade, mantendo regularmente as idas a bares e as viagens de fim de ano. Não faz sentido.

O nosso governo em exercício parece se esquecer de que não está gerindo números em uma planilha ou padrões evidenciados em gráficos, mas vidas humanas. Falta de investimentos na saúde traduzem-se em pessoas morrendo em filas de hospitais, agonizando nos corredores dos pronto-socorros sem atendimento adequado, tendo negado não somente o evidente direito à vida, mas também à dignidade. Da mesma forma, a negligência da educação como área nuclear para a construção de qualquer Estado Democrático de Direito deixa claro que o Estado parece ignorar seu papel mais elementar como ‘gestor de vidas’, para usar a expressão foucaultiana. Basta imaginarmos um Estado onde não haja o compromisso público com a educação dos seus cidadãos. O que podemos dele esperar em 20 anos? Educação não é gasto. É investimento.

A respeito da privatização da educação em Goiás via organizações sociais, produzimos o texto de esclarecimento que vocês podem ler em anexo.

Anúncios

I Seminário de História e Narrativas Audiovisuais

Entre os dias 07 e 09 de novembro acontecerá o primeiro Seminário em História e Narrativas Visuais da UFG, no auditório Lauro Vasconcellos da Faculdade de História, Campus Samambaia. Na ocasião, serão apresentados trabalhos escritos e audiovisuais dos alunos concluintes da pós-graduação homônima oferecida pela FH-UFG. Participe!

programacao-iseminarionuh

 

 

Elena (2012), de Petra Costa

No próxima sexta, dia 30 de setembro, o Cineclube Depressão irá exibir o filme biográfico Elena (2012), de Petra Costa, às 19h no Espaço Sonhus em Goiânia (Clique aqui para ver a localização no Google Maps).

SINOPSE DO FILME
Elena viaja para Nova York com o mesmo sonho da mãe: ser atriz de cinema. Deixa para trás uma infância passada na clandestinidade durante a ditadura militar e uma adolescência vivida entre peças de teatro e filmes caseiros. Também deixa Petra, sua irmã de 7 anos. Duas décadas mais tarde, Petra também se torna atriz e embarca para Nova York em busca de Elena. Tem apenas pistas: fitas de vídeo, recortes de jornais, diários e cartas. A qualquer momento, Petra espera encontrar Elena andando pelas ruas. Aos poucos, os traços das duas se confundem. Já não se sabe quem é uma e quem é a outra.

TRAILER
https://www.youtube.com/watch?v=yc0T-pPwrTk

FICHA TÉCNICA
Gênero: Documentário
Direção: Petra Costa
Roteiro: Carolina Ziskind, Petra Costa
Produção: Daniela Santos, Julia Bock
Fotografia: Janice d’Avila, Miguel Vassy, Will Etchebehere
Duração: 82 min.
Ano: 2012
País: Brasil
Cor: Colorido
Estreia: 10/05/2013 (Brasil)
Distribuidora: Espaço Filmes
Estúdio: Busca Vida Filmes
Classificação: 12 anos

Endereço do Espaço Sonhus
Rua 18, nº. 10, Setor Central, Goiânia-GO

Imagem destacada:
Frame do filme Elena (2012), de Petra Costa

elena

Programação do Cine Cultura – Maio

Já estamos no dia 10 de maio, mas ainda há tempo de conferir as atrações do Cine Cultura para o mês corrente. Além dos filmes O Cheiro da Gente (2015), Teobaldo Morto, Romeu Exilado (2014) e Yorimatã (2014), o cinema da praça cívica terá dois festivais em maio!  O Festival de Cinema Europeu – 12ª Semana da Europa acontece entre os dias 19 e 25, enquanto essa semana recebe, entre os dias 13 e 15, o DIGO – Festival Internacional de Diversidade Sexual e de Gênero de Goiás. Segue abaixo a programação completa.

Programação mensal 2016-05.001

Filme: O Cheiro da Gente (2015)
Período: 28/04 a 11/05; 26/05 a 08/06
Horário: 18h30 (seg/sex); 17h30 (sáb/dom)

O fotógrafo e artista Larry Clark acompanha momentos da vida de um grupo de seis jovens parisienses, seus encontros entre o Museu de Arte Moderna e o Palais de Tokyo e suas festas repletas de sexo, drogas e rock‘n’roll. As relações desses jovens com suas famílias, com o consumo, com o sexo e os relacionamentos, com a internet e a prostituição. Vinte anos após realizar Kids, Larry Clark volta a fazer um filme sobre a juventude, seus atos de ingenuidade, suas confusões e erros, e seus sentimentos de incompreensão e solidão.

Drama, Larry Clark, França, 2015, 1h28, classificação 18 anos

 

teobaldoeromeuFilme: Teobaldo Morto, Romeu Exilado (2014)
Período: 28/04 a 18/05 (exceto 13, 14 e 15/05, devido ao I DIGO)
Horário: 20h30 (seg/sex); 19h30 (sáb/dom)

No filme de Rodrigo de Oliveira, João é um músico de 32 anos que opta pelo isolamento numa propriedade no interior do Brasil após Flora, sua mulher grávida, romper com ele. Depois de três meses, quando finalmente parece estar pronto para reparar seus erros junto a Flora e acompanhar o parto de seu filho, João é surpreendido pela misteriosa visita de Max, seu melhor amigo, há muitos anos desaparecido e dado como morto.

Drama, Rodrigo de Oliveira, Brasil, 2014, classificação 14 anos, 1h58

 

Filme: Yorimatã (2014)
Período: 12 a 18/05 (nos dias 13, 14 e 15 o filme participa do I DIGO); 26/05 a 01/06

Em Yorimatã, acompanhamos duas mulheres que, em meio ao movimento hippie dos anos 70, se unem pelo sonho de liberdade. Luhli e Lucina vivem em seu cotidiano criativo de uma comunidade alternativa a experimentação musical radical. Elas se tornam pioneiras no cenário independente brasileiro. Com cerca de 800 composições, do violão aos tambores artesanais que constroem e tocam, dizem não às gravadoras e mergulham na umbanda e na criação artística. Seu companheiro de um relacionamento em trisal, o fotógrafo Luiz Fernando Borges da Fonseca, registra tudo em filmes super 8mm que, unidos a registros de shows por artistas independentes e a filmagens atuais, recriam seu universo espírito-musical, num filme sobre a liberdade e a busca das raízes primitivas culturais brasileiras.

Documentário/Experimental, Rafael Saar, Brasil, 2014, classificação 10 anos, 1h56

 

DIGO – I Festival Internacional de Diversidade Sexual e de Gênero de Goiás

Entre os dias 13 e 15 de maio, acontece no Cine Cultura o DIGO – I Festival Internacional de Diversidade Sexual e de Gênero de Goiás. O festival, idealizado pelo cineasta Cristiano Sousa, conta com a curadoria de Ricky Mastro e Itamar Borges. Ao todo, o festival exibirá mais de 200 filmes, todos produzidos entre 2014 e 2016 e com duração máxima de 20 minutos. O festival premiará com o troféu DIGO 10 curtas na categoria nacional e outros 10 curtas internacionais nas categorias juri e público. Também serão premiados o melhor diretor, ator e atriz, além de uma menção honrosa.

No primeiro dia, o destaque será para a palestra sobre transexualidade com a delegada Laura Castro e a oficina de Drag Queen ministrada pelo diretor teatral Eduardo de Souza, ambos no CREI. Já no Cine Cultura, no período da tarde ocorrerá a exibição dos longas: “Castanha” do diretor Davi Pretto e “Yorimatã” de Rafael Saar. À noite, o público poderá conferir a exposição de gravuras do artista Helder Amorim e às 20h terá a Mostra Nacional Competitiva.

o segundo dia, (14/5) o público vai poder conferir pela manhã a Mostra Paralela com os filmes do Outfest Peru e Asolo Art Film Festival. A tarde vai ocorrer um bate-papo sobre “Direito LGBTT”, com a advogada Ana Cristyna e com representantes da Comissão da Diversidade Sexual da OAB. O lançamento do livro: “Cinema que ousa dizer seu nome”, do cineasta Lufe Steffen, após o mesmo participará do bate-papo “Literatura, Cinema e Diversidade Sexual”.  Os longas: “Gazelle” do diretor Cesar Terra Nova e “A volta da Paulicéia Desvairada” do Lufe serão exibidos. A noite terá a intervenção artística “Eu aceito”, uma exposição de desenhos do artista Marcos Branquinho, show com a cantora Eloá Nunes, Mostra Competitiva Internacional e às 22h terá a exibição do filme “Nova Dubai” do diretor Gustavo Vinagre (para maiores de 18 anos).

Último dia; pela manhã terá a “Mostra Paralela Anicurtas” e bate-papo sobre a produção audiovisual em Goiás. No período da tarde, o público vai poder assistir o longa “Ralé” estrelado pelo Ney Matogrosso e dirigido por Helena Ignez. Em seguida terá a leitura dramática: “Uma cama quebrada” e o lançamento do livro Trilogia dos Desejos do escritor Roberto Munis Dias. À noite; antes da divulgação dos vencedores e a entrega dos troféus ocorrerá show musical com BabySom Sales e a performance “Ney Matogrosso”, com o artista Peninha.

Segue abaixo a programação do evento. 

PROGRAMACAO DIGO

.Fonte: https://cineculturagoias.wordpress.com/

Cine UFG apresenta: “Retratos de Identificação”(2014), de Anita Leandro

No próximo dia 12 de maio (quinta-feira), às 19h, o Cine UFG exibirá o filme “Retratos de Identificação”(2014), de Anita Leandro. Esta sessão também faz parte do projeto Cinemas em Rede, que tem como uma das possibilidades “compartilhar conteúdos, mostras e ciclos em tempo real entre estes pontos de cinema”.

Entrada gratuita!

Localização do Cine UFG no google maps:
https://www.google.com.br/maps/place/Cine+UFG/@-16.6029379,-49.2638306,15z/data=!4m2!3m1!1s0x0:0x2ff9f559f13ab2

O Filme

“Retratos de Identificação” (2014), de Anita Leandro

Duração: 71 minutos
Gênero: documentário
Classificação indicativa: 12 anos

Sinopse:
Na época da ditadura militar, os presos políticos eram fotografados em diferentes situações: desde investigações e prisões até em torturas, exames de corpo de delito e necropsias. Hoje, dois sobreviventes à tortura vêem, pela primeira vez, as fotografias relativas as suas prisões. Antônio Roberto Espinosa, o então comandante da organização VAR-Palmares, testemunha sobre o assassinato  de Chael Schreier, com quem conviveu na prisão. Já Reinaldo Guarany, do grupo tático armado ALN, relembra sua saída do país em 1971, em troca da vida do embaixador suíço Giovanni Bucher, conta como foi sua vida no exílio e fala sobre o suicídio de Maria Auxiliadora Lara Barcellos, com quem vivia em Berlim. Com essas revelações e testemunhos, segredos de um passado obscuro do país voltam a tona.

Elenco
Antônio Roberto Espinosa
Maria Auxiliadora
Lara Barcellosmais

Teaser:

Cine UFG apresenta: A Vizinhança do Tigre (2014), de Affonso Uchoa

No próximo dia 12 de abril (terça-feira), às 19h, o Cine UFG exibirá o filme de Affonso Ucho A Vizinhança do Tigre (2014). A sessão faz parte da programação do Cinemas em rede, um projeto inovador de compartilhamento e difusão de conteúdos audiovisuais, pela internet de alta capacidade, via CiPê, coordenado pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa- RNP em parceria com os Ministérios da Cultura (MinC) e Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). Com isso, 12 instituições participam desse projeto: a UFRGS (Sala Redenção – Cinema Universitário); USP (CINUSP e Escola de Comunicação e Artes-ECA);  a Cinemateca Brasileira (MinC); a UFBA (Saladearte Cinema da UFBA); a Fundação Joaquim Nabuco – FUNDAJ, em Recife; a UFOP (Cine Vila Rica); a UFPB (Cine Aruanda); a UFG (Cine UFG); a UFF (Cine Arte UFF); a UFPel; a UFSCar; e a UFES (Cine Metrópole). Ainda segundo o site do Cinemas em Rede “Uma das possibilidades do projeto é compartilhar conteúdos, mostras e ciclos em tempo real entre estes pontos de cinema”.

Localização do Cine UFG no google maps:
https://www.google.com.br/maps/place/Cine+UFG/@-16.6029379,-49.2638306,15z/data=!4m2!3m1!1s0x0:0x2ff9f559f13ab2

O Filme

A Vizinhança do Tigre

Duração: 94 minutos
Gênero: ficção/documentário
Categoria: drama social
Classificação indicativa: 16 anos

Sinopse:
Juninho, Menor, Neguinho, Adilson e Eldo são jovens moradores do bairro Nacional, periferia de Contagem. Divididos entre o trabalho e a diversão, o crime e a esperança, cada um deles terá de encontrar modos de superar as dificuldades e domar o tigre que carregam dentro das veias.

Elenco
Juninho (Aristides de Souza), Eldo (Eldo Rodrigues in
memoriam), Adilson (Adilson
Cordeiro), Menor (Maurício Chagas) e Neguinho (Wederson Patrício)

Direção: Affonso Uchôa
Direção Assistente: João Dumans, Warley Desali
Fotografia: Affonso Uchôa
Roteiro: Affonso Uchôa, João Dumans, Aristides de Sousa, Maurício Chagas, Wederson
Patrício, Eldo Rodrigues, Adilson Cordeiro
Montagem: Affonso Uchôa, Luiz Pretti, João Dumans
Som direto: Warley Desali
Mixagem: Bruno Vasconcelos, Pedro Durães
Fotografia adicional: Bernard Machado, Maurício Rezende, Samuel Marotta
Produção executiva: Thiago Macêdo Correia
Produção: Affonso Uchôa, Katásia Filmes

Teaser:

Cartaz da sessão:

12924522_1046652245395207_8876362858938223297_n